Unidade de Vida Selvagem - Wildlife Research Unit

Unidade de Vida Selvagem - Wildlife Research Unit

Comentários

Num trabalho recentemente publicado focámo-nos na caracterização do resistoma f***l de um animal selvagem, o javali.
Observámos uma maior variedade e abundância de genes de resistência a antibióticos (ARGs) em locais sujeitos a maiores pressões antropogénicas.
O resistoma do javali inclui alguns genes clinicamente relevantes, e foram também isoladas algumas bactérias multiresistentes.
O javali é um animal de caça (sendo utilizado para alimentação humana), e que tem potencial para disseminar bactérias resistentes e ARGs para gado, seres humanos e o ambiente.
Assim, é necessário implementar programas de vigilância através de uma abordagem holística (One health).
Este trabalho foi desenvolvido no âmbito do doutoramento da Diana Dias, com a orientação da Prof Sónia Mendo, do Prof. Carlos Fonseca (Unidade de Vida Selvagem - Wildlife Research Unit) e da Doutora Tânia Caetano.
As cobras vão novamente andar à solta no Lousal!

Desde os mitos à sua identif**ação, iremos passar da teoria à prática na busca de serpentes na Aldeia Mineira do Lousal. A atividade contará com a presença de Davina Falcão, Coordenadora do projeto Cobras de Portugal em parceria com a Associação Bioliving.

Deslize até à Mina de Ciência, e venha conhecer o fascinante mundo das cobras de Portugal!

Limitado a 25 pessoas

Inscrição até 04 de maio de 2021:
Enviar email para [email protected] com:
- NOME
- NÚMERO DE PESSOAS
- CONTACTO TELEFÓNICO E EMAIL

Irá receber uma resposta com o NIB para pagamento da inscrição.

Valor:
10€ Individual
25€ Família (2 adultos + crianças)

Validação da inscrição após envio de comprovativo de pagamento.

Esperamos por si!
Estudo do CESAM sobre reprodução e imunidade em sacarrabos já pode ser lido! A notícia completa e link para o artigo original aqui: https://www.ua.pt/pt/noticias/9/64849 Unidade de Vida Selvagem - Wildlife Research Unit
📢📣⚠Hoje apresentamos a nossa mais recente parceria, que divulgaremos nos próximos tempos!📢📣⚠

Estamos a falar do projeto VACALOURA.pt. Trata-se de um projecto de ciência cidadã coordenado pela Associação BioLiving em parceria com a Unidade de Vida Selvagem - Wildlife Research Unit do Departamento de Biologia da Universidade de Aveiro, com a SPEN - Sociedade Portuguesa de Entomologia e com o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, cujo objectivo é compilar e organizar informação sobre a distribuição e estado das populações da Vaca-Loura e dos restantes escaravelhos da família Lucanidae em Portugal.

"E o que é isso de ser um projecto de ciência cidadã", perguntam vocês? É muito simples: enquanto aprendem mais sobre novas espécies e o seu papel no nosso ecossistema, podem ajudar a divulgar esse conhecimento e envolver-se activamente na conservação desta espécie!! Vão até ao site www.vacaloura.pt ou à página de Facebook VACALOURA.pt e descubram todo um novo mundo entomológico à vossa espera!! 🐝🐞
// ELP - Descoberta arqueológica no Grande Vale do Côa reforça coexistência entre pessoas e a vida selvagem //

A descoberta de uma gravura rupestre de grandes dimensões de um auroque no Grande Vale do Côa dá uma perspectiva histórica importante para os esforços atuais de rewilding

Como demonstram as gravuras únicas do Vale do Côa, os nossos antepassados ​​europeus viveram lado a lado com poderosos auroques e uma variedade de outros animais durante milhares de anos. Hoje, enquanto o Grande Vale do Côa continua a ser um corredor natural para a vida selvagem, a sua funcionalidade tem vindo a diminuir devido a múltiplos fatores.

Graças a uma doação substancial do The Endangered Landscapes Programme, esforços intensif**ados de rewilding estão em andamento para reverter esse declínio. Com os esforços supervisionados pela Rewilding Portugal e respetivos parceiros (Unidade de Vida Selvagem - Wildlife Research Unit da Universidade de Aveiro e as ONGs portuguesas Zoo Logical - Conhecimento, Divulgação e Conservação da Fauna e Transumância e Natureza - Associação), o objetivo é fortalecer um corredor de vida selvagem de 120.000 hectares no Grande Vale do Côa, interligando a serra da Malcata, no sul, com o vale do rio Douro, no norte.
_________________________________________________

// ELP - Archaeological discovery in the Greater Côa Valley reinforces coexistence between people and wildlife //

The discovery of a large rock engraving of an aurochs in the Greater Côa Valley provides an important historical perspective for current rewilding efforts

As the unique engravings in the Côa Valley demonstrate, our ancestors lived side by side with aurochs and a variety of other animals for thousands of years. Today, while the Greater Côa Valley remains a natural corridor for wildlife, its capacity decreases due to multiple factors.

Thanks to a substantial grant from the Endangered Landscapes Programme, intensified rewilding actions are underway to reverse this decline. With the supervision of Rewilding Portugal and local partners (University of Aveiro and Portuguese NGOs Zoo Logical and ATNatureza), the objective is to create a 120,000 hectare wildlife corridor in the Greater Vale do Côa, connecting Malcata mountains, in the south, with the valley of the Douro River, in the north.

#ELP #Engravings #Aurochs #WilLife #Coexistence #CoaPark #GreaterCoaValley #GrandeValedoCoa #ValedoCoa #Rewilding #RewildingPortugal #RewildingEurope #UniversidadedeAveiro #ZooLogical #ATNatureza
Our recent paper just got published!!
Estivemos este fim-de-semana presentes no X RUSI, que decorreu na Lousã, evento onde tivemos oportunidade de conhecer mais em pormenor a situação atual dos Ungulados Silvestres Ibéricos, assim como criar ligações e trocar impressões com stakeholders relacionados com os vários projectos em que estamos envolvidos! De realçar que o principal organizador do evento foi a Unidade de Vida Selvagem.
_________________________________________________

We attended this weekend at the X RUSI, which took place in Lousã, an event where we had the opportunity to learn more about the current situation of the Iberian Wild Ungulates, as well as to create connections and exchange impressions with stakeholders related to the various projects in which we are involved! The main organizer of this event was Unidade de Vida Selvagem

#rewilding #RUSI #XRUSI #RewildingPortugal #RewildingEurope #UniversidadeAveiro Unidade de Vida Selvagem - Wildlife Research Unit
Em que país e cidade f**a localizado a Unidade de vida Selvagem?
Acabaram agora as atividades do Fim de semana da vaca-loura com um pleno de avistamentos nas 5 atividades decorridas, com mais de 125 participantes no total e cerca de 30 vacas-louras avistadas.

Diversas ideias surgiram com esta atividade e a promessa de repetição no futuro.

Obrigado a todos por participarem. Estamos de coração cheio ❤🌳

O fim-de-semana da vaca-loura é um evento organizado pelo Projeto VACALOURA.pt (coordenado pela Associação BioLiving, pela SPEN - Sociedade Portuguesa de Entomologia, pela Unidade de Vida Selvagem - Wildlife Research Unit e pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas) e esta primeira edição contou com o apoio da Quinta de Cáscere, do Município de Lousada, da Associação Recreativa e Cultural Santa Cruz da Trapa, da Coração Azul, da Quinta da Regaleira/Fundação Cultursintra FP e do Município de Albergaria-a-Velha a quem agradecemos todo o apoio prestado nestes dias.
DIVULGUE PARA QUE ANIMAIS DE ZOOLOGICO PARTICULAR NO BRASIL NAO REALIZE ABATE DE 300 CERVOS EXOTICOS.zoologico PAMPA SAFARI city Gravatai,estado.Rio Grande do Sul.BRASIL. HELP HELP

https://sites.google.com/site/unidadevidaselvagem/ A Unidade de Vida Selvagem, do Departamento de Biologia da Universidade de Aveiro integra diversas valências na área da Ecologia Animal, incluindo o Estudo da Dinâmica das Populações Animais e dos seus Habitats, a Gestão e Ordenamento Cinegéticos e Piscícolas, a aplicação de Sistemas de Informação Geográf**a à Gestão dos Recursos Naturais, a Genética Populacional e a Conservação, Valorização e Monitorização de Áreas Naturais e da sua Biodiversidade.

29/12/2021

“Screening for hepatitis E virus genotype 3 in red deer (Cervus elaphus) and fallow deer (Dama dama), Portugal, 2018–2020 ” é o mais recente artigo colaborativo de investigadores da UVS (Rita T. Torres e Josman D. Palmeira), Universidade do Porto, Universidade de Códoba (Espanha) e Universidade Federal do Mato Grosso (Brasil).
Neste trabalho foi investigada a presença do vírus da hepatite E (HEV) em ungulados selvagens, sendo o primeiro registo de hepatite E em v***os, em Portugal, nomeadamente o genótipo HEV 3 subgenótipo 3e. Este trabalho evidencia a importância da vigilância continuada dirigida às doenças de origem alimentar, especialmente as que envolvem animais selvagens e, em particular, ungulados.
Link: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/tbed.14427

“Screening for hepatitis E virus genotype 3 in red deer (Cervus elaphus) and fallow deer (Dama dama), Portugal, 2018–2020 ” é o mais recente artigo colaborativo de investigadores da UVS (Rita T. Torres e Josman D. Palmeira), Universidade do Porto, Universidade de Códoba (Espanha) e Universidade Federal do Mato Grosso (Brasil).
Neste trabalho foi investigada a presença do vírus da hepatite E (HEV) em ungulados selvagens, sendo o primeiro registo de hepatite E em v***os, em Portugal, nomeadamente o genótipo HEV 3 subgenótipo 3e. Este trabalho evidencia a importância da vigilância continuada dirigida às doenças de origem alimentar, especialmente as que envolvem animais selvagens e, em particular, ungulados.
Link: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/tbed.14427

16/12/2021

O 2º Encontro da Sociedade Ibérica de Ecologia (SIBECOL) + XXI Conferência da Asociacion Iberica de Limnologia (AIL) + XXI Congresso Nacional de Ecologia (SPECO - Sociedade Portuguesa de Ecologia) terá lugar na Universidade de Aveiro, de 3 a 8 de julho de 2022.

Submete já o teu abstract!!

Mais info: https://sibecol-ail-meeting2022.web.ua.pt/

O 2º Encontro da Sociedade Ibérica de Ecologia (SIBECOL) + XXI Conferência da Asociacion Iberica de Limnologia (AIL) + XXI Congresso Nacional de Ecologia (SPECO - Sociedade Portuguesa de Ecologia) terá lugar na Universidade de Aveiro, de 3 a 8 de julho de 2022.

Submete já o teu abstract!!

Mais info: https://sibecol-ail-meeting2022.web.ua.pt/

15/10/2021

Em 2020, membros da UVS e membros da FAPAS-Espanha publicaram um artigo (Gregório et al, 2020) em que foi apresentada nova informação sobre a filogeografia, estrutura, diversidade e fluxo genético na população Cantábrica de Urso pardo. Nesse artigo foi identif**ado um fluxo migratório assimétrico da subpopulação Oriental para a subpopulação Ocidental, e alertou-se para as implicações desse padrão para a conservação do urso pardo. Como é normal em ciência, a interpretação não foi consensual e foi disputada. Foi publicada ontem a contra-resposta (https://journals.plos.org/plosone/article?id=10.1371/journal.pone.0256432) onde, com base nos resultados já publicados e tendo por base os dados mais atuais sobre fecundidade, mortalidade e crescimento populacional nas duas subpopulações, reforçou-se a discussão científ**a no ponto essencial e reafirmou-se o provável papel central do conflito com as populações humanas, no estado atual da população Cantábrica de urso pardo, e a importância de direcionar esforços neste sentido, a par com as medidas de aumento da conectividade.

Em 2020, membros da UVS e membros da FAPAS-Espanha publicaram um artigo (Gregório et al, 2020) em que foi apresentada nova informação sobre a filogeografia, estrutura, diversidade e fluxo genético na população Cantábrica de Urso pardo. Nesse artigo foi identif**ado um fluxo migratório assimétrico da subpopulação Oriental para a subpopulação Ocidental, e alertou-se para as implicações desse padrão para a conservação do urso pardo. Como é normal em ciência, a interpretação não foi consensual e foi disputada. Foi publicada ontem a contra-resposta (https://journals.plos.org/plosone/article?id=10.1371/journal.pone.0256432) onde, com base nos resultados já publicados e tendo por base os dados mais atuais sobre fecundidade, mortalidade e crescimento populacional nas duas subpopulações, reforçou-se a discussão científ**a no ponto essencial e reafirmou-se o provável papel central do conflito com as populações humanas, no estado atual da população Cantábrica de urso pardo, e a importância de direcionar esforços neste sentido, a par com as medidas de aumento da conectividade.

14/09/2021

“Emergence of colistin resistance genes (mcr-1) in Escherichia coli among widely distributed wild ungulates” é o mais recente artigo de investigadores da UVS Rita T. Torres, Carlos Fonseca e Josman D. Palmeira, em colaboração com a Universidade do Porto e Universidade de Lisboa.
Este artigo reporta, pela primeira vez na Europa, o gene de resistência à colistina (mcr-1), um antibiótico de último recurso, na população de ungulados selvagens. As amostras provieram de animais que vivem em habitats naturais e com baixa densidade humana, sublinhando a disseminação global de mcr-1 em vida selvagem.
Link: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0269749121017188?via%3Dihub

“Emergence of colistin resistance genes (mcr-1) in Escherichia coli among widely distributed wild ungulates” é o mais recente artigo de investigadores da UVS Rita T. Torres, Carlos Fonseca e Josman D. Palmeira, em colaboração com a Universidade do Porto e Universidade de Lisboa.
Este artigo reporta, pela primeira vez na Europa, o gene de resistência à colistina (mcr-1), um antibiótico de último recurso, na população de ungulados selvagens. As amostras provieram de animais que vivem em habitats naturais e com baixa densidade humana, sublinhando a disseminação global de mcr-1 em vida selvagem.
Link: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0269749121017188?via%3Dihub

13/09/2021

"Mapping the scientific knowledge of antimicrobial resistance in food-producing animals" é o mais recente artigo de revisão da autoria dos membros da UVS Rita T. Torres, João Carvalho, Josman D. Palmeira, Joana Fernandes e Carlos Fonseca, em colaboração com a investigadora Mónica V. Cunha (Faculdade de Ciências, Universidade de Lisboa),, na revista One Health.
Este é o primeiro estudo que fornece uma visão global das tendências espaciais e temporais da investigação relacionada com a resistência a antibióticos em animais de produção. Este estudo demonstra um claro crescente interesse pela comunidade científ**a na resistência a antibióticos em animais de produção, revelando um enviesamento espacial: países mais pobres são menos amostrados contudo, os esforços de intensif**ação de amostragem são cruciais. São reveladas tendências de investigação e áreas científ**as que devem ser investidas e exploradas no futuro.

Link do artigo: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S2352771421001142?via%3Dihub

"Mapping the scientific knowledge of antimicrobial resistance in food-producing animals" é o mais recente artigo de revisão da autoria dos membros da UVS Rita T. Torres, João Carvalho, Josman D. Palmeira, Joana Fernandes e Carlos Fonseca, em colaboração com a investigadora Mónica V. Cunha (Faculdade de Ciências, Universidade de Lisboa),, na revista One Health.
Este é o primeiro estudo que fornece uma visão global das tendências espaciais e temporais da investigação relacionada com a resistência a antibióticos em animais de produção. Este estudo demonstra um claro crescente interesse pela comunidade científ**a na resistência a antibióticos em animais de produção, revelando um enviesamento espacial: países mais pobres são menos amostrados contudo, os esforços de intensif**ação de amostragem são cruciais. São reveladas tendências de investigação e áreas científ**as que devem ser investidas e exploradas no futuro.

Link do artigo: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S2352771421001142?via%3Dihub

12/08/2021

Hoje, dia 12 de Agosto, pelas 21:15, irá decorrer mais uma edição das Jornadas da Biodiversidade. Desta vez, a Daniela Teixeira, aluna de doutoramento da Unidade de Vida Selvagem, irá falar-nos sobre o projecto WildForests debatendo o tópico "As comunidades de mamíferos em florestas de produção" enquadrado no tema desta semana "Conhecer a floresta portuguesa"!
Ficaste curioso? Faz a tua inscrição através deste link: https://forms.gle/azcTCBnpVit9deGD9

Para aceder à sessão, utiliza o link: https://videoconf-colibri.zoom.us/j/6965882244

Hoje, dia 12 de Agosto, pelas 21:15, irá decorrer mais uma edição das Jornadas da Biodiversidade. Desta vez, a Daniela Teixeira, aluna de doutoramento da Unidade de Vida Selvagem, irá falar-nos sobre o projecto WildForests debatendo o tópico "As comunidades de mamíferos em florestas de produção" enquadrado no tema desta semana "Conhecer a floresta portuguesa"!
Ficaste curioso? Faz a tua inscrição através deste link: https://forms.gle/azcTCBnpVit9deGD9

Para aceder à sessão, utiliza o link: https://videoconf-colibri.zoom.us/j/6965882244

30/07/2021

Parabéns à Mariana Rossa, por ter conseguido uma bolsa de doutoramento da FCT . Parabéns também aos seus supervisores João Carvalho e Rita Tinoco Torres. O seu tema de doutoramento intitula-se "Effects of ungulate rewilding on the functions and processes of Mediterranean ecosystems" e vai ser desenvolvido no CESAM - Centro de Estudos do Ambiente e do Mar

Parabéns à Mariana Rossa, por ter conseguido uma bolsa de doutoramento da FCT . Parabéns também aos seus supervisores João Carvalho e Rita Tinoco Torres. O seu tema de doutoramento intitula-se "Effects of ungulate rewilding on the functions and processes of Mediterranean ecosystems" e vai ser desenvolvido no CESAM - Centro de Estudos do Ambiente e do Mar

16/07/2021

"Stakeholders engagement as an important step for the long-term monitoring of wild ungulate populations" é o mais recente artigo da autoria dos membros da UVS João Carvalho, Pedro Leite, Ana Valente, Carlos Fonseca e Rita T. Torres, na revista Ecological Solutions and Evidence, da British Ecological Society.
Monitorar tendências em populações de animais silvestres é essencial para o desenvolvimento de estratégias adequadas de gestão das suas populações. No entanto, estudos de longo prazo são difíceis de manter, principalmente devido à falta de financiamento. Neste cenário, a colaboração entre investigadores e stakeholders locais pode ser uma parceria frutífera para monitorar espécies cinegéticas por longos períodos e vastos territórios.
Neste trabalho é apresentada e validada uma estratégia experimental com o envolvimento de investigadores, caçadores locais e gestores de caça, para implementar uma Framework replicável para a avaliação, e monitorização contínua de populações de v***o (Cervus elaphus).

Link do artigo: https://besjournals.onlinelibrary.wiley.com/doi/epdf/10.1002/2688-8319.12088

"Stakeholders engagement as an important step for the long-term monitoring of wild ungulate populations" é o mais recente artigo da autoria dos membros da UVS João Carvalho, Pedro Leite, Ana Valente, Carlos Fonseca e Rita T. Torres, na revista Ecological Solutions and Evidence, da British Ecological Society.
Monitorar tendências em populações de animais silvestres é essencial para o desenvolvimento de estratégias adequadas de gestão das suas populações. No entanto, estudos de longo prazo são difíceis de manter, principalmente devido à falta de financiamento. Neste cenário, a colaboração entre investigadores e stakeholders locais pode ser uma parceria frutífera para monitorar espécies cinegéticas por longos períodos e vastos territórios.
Neste trabalho é apresentada e validada uma estratégia experimental com o envolvimento de investigadores, caçadores locais e gestores de caça, para implementar uma Framework replicável para a avaliação, e monitorização contínua de populações de v***o (Cervus elaphus).

Link do artigo: https://besjournals.onlinelibrary.wiley.com/doi/epdf/10.1002/2688-8319.12088

06/07/2021

SACARRABOS – UMA EXPANSÃO SEM STRESS

Um novo estudo investiga a influência de factores geográficos e ambientais sobre os glucocorticoides em pêlo de sacarrabos, após controlar os padrões normais de variação para a espécie. Observou-se uma diminuição nos níveis de glucocorticoides no pêlo à medida que a distância para a distribuição histórica aumenta (ou seja, uma diminuição de glucocorticóides em direcção à frente de expansão). Os resultados indicam que é improvável que a expansão do sacarrabos seja limitada por mecanismos relacionados ou mediados pela resposta fisiológica ao stress. A diminuição dos níveis de glucocorticoides no pêlo em direção ao limite de expansão, juntamente com a ausência de evidências de um efeito negativo da densidade da população humana, sugere que a expansão da espécie para o norte de Portugal pode continuar.

Este estudo é o primeiro a nível mundial a investigar a relação entre hormonas de stress (glucocorticoides) e a expansão geográf**a em mamíferos e demonstra como a medição não-invasiva de hormonas em pêlos pode abrir novas portas na ecologia espacial. O artigo intitulado: “Decreasing glucocorticoid levels towards the expansion front suggest ongoing expansion in a terrestrial mammal”, foi publicado na Conservation Physiology, e pode ser consultado em https://academic.oup.com/conphys/article/9/1/coab050/6313323.

O trabalho é da autoria de Alexandre Azevedo (Leibniz Institute for Zoo and Wildlife Research, Berlim e Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar ICBAS-UP), de duas investigadoras do Leibniz Institute for Zoo and Wildlife Research, Berlim e de dois investigadores do Departamento de Biologia e CESAM da Universidade de Aveiro (Victor Bandeira e Carlos Fonseca).

SACARRABOS – UMA EXPANSÃO SEM STRESS

Um novo estudo investiga a influência de factores geográficos e ambientais sobre os glucocorticoides em pêlo de sacarrabos, após controlar os padrões normais de variação para a espécie. Observou-se uma diminuição nos níveis de glucocorticoides no pêlo à medida que a distância para a distribuição histórica aumenta (ou seja, uma diminuição de glucocorticóides em direcção à frente de expansão). Os resultados indicam que é improvável que a expansão do sacarrabos seja limitada por mecanismos relacionados ou mediados pela resposta fisiológica ao stress. A diminuição dos níveis de glucocorticoides no pêlo em direção ao limite de expansão, juntamente com a ausência de evidências de um efeito negativo da densidade da população humana, sugere que a expansão da espécie para o norte de Portugal pode continuar.

Este estudo é o primeiro a nível mundial a investigar a relação entre hormonas de stress (glucocorticoides) e a expansão geográf**a em mamíferos e demonstra como a medição não-invasiva de hormonas em pêlos pode abrir novas portas na ecologia espacial. O artigo intitulado: “Decreasing glucocorticoid levels towards the expansion front suggest ongoing expansion in a terrestrial mammal”, foi publicado na Conservation Physiology, e pode ser consultado em https://academic.oup.com/conphys/article/9/1/coab050/6313323.

O trabalho é da autoria de Alexandre Azevedo (Leibniz Institute for Zoo and Wildlife Research, Berlim e Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar ICBAS-UP), de duas investigadoras do Leibniz Institute for Zoo and Wildlife Research, Berlim e de dois investigadores do Departamento de Biologia e CESAM da Universidade de Aveiro (Victor Bandeira e Carlos Fonseca).

14/06/2021

"Emergence and Spread of Cephalosporinases in Wildlife: A Review" é o mais recente artigo de revisão, que faz parte do Special Issue “Wildlife Diseases”, da autoria dos membros da UVS Josman D. Palmeira, João Carvalho, Carlos Fonseca e Rita T. Torres, em colaboração com a Universidade do Porto e Universidade de Lisboa. Este trabalho compila a informação disponível sobre um importante mecanismo de resistência que confere às bactérias a capacidade de inativar os antibióticos cefalosporinas, as cefalosporinases (β-lactamases de espectro estendido (ESBL) e AmpC), em animais de vida selvagem. Este trabalho destaca a importância uma estratégia integrada de uma Só Saúde (One Health).

Link do artigo: https://www.mdpi.com/2076-2615/11/6/1765

Urso-pardo: O que sabe sobre este animal? 26/05/2021

Urso-pardo: O que sabe sobre este animal?

A UVS quer conhecer o que pensam os portugueses de um possível regresso do urso-pardo a Portugal. Para isso elaborou um pequeno questionário (máximo 10 minutos). Participa e divulga para que mais pessoas possam dar a sua opinião!

Para responder basta clicar no link seguinte:

https://forms.ua.pt/index.php?r=survey/index&sid=796439&lang=pt

Esta investigação respeita a privacidade dos entrevistados, garantindo o anonimato, a segurança e a confidencialidade das informações prestadas, em conformidade com o Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD) (Regulamento UE 2016/679). O acesso e o tratamento dos dados são autorizados apenas aos investigadores associados, de acordo com a finalidade abaixo descrita.

Os resultados obtidos no âmbito deste projeto serão utilizados apenas para fins académicos, nomeadamente para a produção da dissertação de Mestrado da aluna Mariana Graça, bem como outras publicações científ**as e comunicações para conferências.

Obrigado pela vossa participação!

Urso-pardo: O que sabe sobre este animal? Toggle navigation Carregar inquérito não terminado 0% Caution: JavaScript ex*****on is disabled in your browser or for this website. You may not be able to answer all questions in this survey. Please, verify your browser parameters. Urso-pardo: O que sabe sobre este animal? O seguinte inquérito f...

Vídeos (mostrar todos)

A vespa-asiática foi identificada pela primeira vez em Portugal no mês de Setembro de 2011. No artigo intitulado "Patter...
Atlas dos pelos dos mamíferos terrestres ibéricos
Os investigadores de vida selvagem têm de ter um coração forte para aguentar as emoções :) Ora espreitem o testemunho da...

Localização

Categoria

Entre em contato com a escola/colégio

Endereço


Aveiro
3810-193 AVEIRO
Outra Escola em Aveiro (mostrar todos)
Escola de formação de adestradores Sport Pack Escola de formação de adestradores Sport Pack
Aveiro, 3750-801

O lider da matilha, comportamento baseado em hierarquia, está é a chave!

Escola Beija-Flor Escola Beija-Flor
Vagueira
Aveiro, 3840-256

Escola de Paramotor e Parapente

Centro de Estudos Crescer Centro de Estudos Crescer
Rua Santa Maria 1716 Lj 6
Aveiro, 4535-400

Tudo o que fazemos, tudo o que pensamos fazer, tem uma exclusiva finalidade: servir a educação!

Capítulo Prodígio - Centro de Explicações Capítulo Prodígio - Centro de Explicações
Rua Dr Girão Pereira Número 2
Aveiro, 3810-277

Conceber e realizar atividades de: ►Explicações ►Apoio ao Estudo ►Preparação para Exames ►Traduções ►Escola de Línguas ☎ 912 048 850

Abelha Mestra Abelha Mestra
Av. Dr. Francisco Sá Carneiro, São João De Ver
Aveiro, 4520-617

Tecnologias - EPAveiro Tecnologias - EPAveiro
Aveiro, 3800

Escola Profissional de Aveiro

Escola Profissional de Aveiro Escola Profissional de Aveiro
Rua Dr. Francisco Ferreira Neves
Aveiro, 3800-510 AVEIRO

A maior escola Profissional do país, promotora da educação e da formação, nomeadamente tecnológica e profissional, de jovens e de adultos.

Escola de Infantes e Cadetes Aveiro Novos Escola de Infantes e Cadetes Aveiro Novos
Largo Capitao Maia Magalhaes
Aveiro, 3800-124

A escola de Infantes pretende ser um espaço onde as crianças e jovens poderão aprender,com diversão, o que fazer em situações de emergência.

EPA - Curso de Comunicação-Marketing EPA - Curso de Comunicação-Marketing
Aveiro

Esta página de divulgação do Curso de Comunicação da EPA respeita a liberdade de expressão e opiniões diversas sendo que os posts ou comentários são, por isso, dos seus autores. Todas as boas participações são bem vindas!

Academia Fight Zone Academia Fight Zone
Aveiro: Travessa Sta Maria Da Feira N.º13 Aveiro (perto Dos Bombeiros Velhos)
Aveiro

Shu-Do deu origem ao R.M.A. (Rocha Martial Art) em Setembro de 2018. É uma arte marcial moderna, desenvolvida em Aveiro (Portugal), pelo Mestre Nuno Rocha.

Escolinha Capitão Lebre Escolinha Capitão Lebre
Aveiro, 3810-384

Associação de Estudantes - ESMS Associação de Estudantes - ESMS
Aveiro

Associação de Estudantes da Escola Sc. Dr. Mário Sacramento