Academia das Letras

Academia das Letras

Comentários

venham estar connosco neste dia e informar se sobre as formações certificadas que temos.......
Poema : MULHER-ME-FUI-SENDO lembrar-te, agora, é sentir que o tempo costumava transbordar de ti … e isso dói… …tudo porque a tua presença-ausente continua a viver…AQUI o sol langoroso, louro-quente, felpudo, de chamas ardentes, desce pela vidraça e desnuda-se, deliciado, no soalho que pisaste. Envolve o quarto no bafo quente, que sai pela vidraça por onde entrou. Adiante, tenho a montanha que me viu-ser-gente… …a montanha desse Outubro longínquo e distante que amontoava as folhas caídas junto das pinhas e das agulhas de pinheiros, dos fetos e dos abetos, lugares prediletos de tantas brincadeiras… Mulher-Terra-------- Mulher-telúrica----- Mulher-Mulher-Me- FUI-SENDO. Hoje, quando Me lembro, procuro-Me na solidão dos atalhos poeirentos… sento-me entre os penedos que nunca abandonaram os momentos-dos-meus-tempos. Olho o céu, de onde cai um azul-verde, cuja sombra me permite ver as fundas brechas, que se abriram na idade da montanha e nas raízes das árvores que a prendiam à terra, como me prendia eu às escadas de pensamentos, por onde chegava ao céu. O silêncio é cortado apenas pelo marulhar dos tímidos ribeiros, que passam ao lado das cabras a correr pelos carreiros, que vão desaguar no vale, lembrando cais de marinheiros-a-voltar. Continuo a nascer e cresço em cada madrugar, que se vai prolongando pelos crepúsculos, em que não te quero recordar… Continuo a perder os olhos pelo horizonte, mesmo em frente do meu silêncio mimético, onde passam avezitas a dialogar com o silêncio-da-Hora… Maria Elisa Ribeiro ABL/015 —
Poema PROSA POÉTICA À SOMBRA DAS ÁRVORES QUE DÃO PALAVRAS Sentava-me debaixo das árvores, acalentada por sombras da vida, que o quintal, ternamente, abraçava. Falava comigo ao som dos ventos, que abanavam as folhas. enquanto um carreiro de formigas, atarefadas e diligentes, me passava rente aos pés que nada sentiam. Tantas vezes essas árvores me apareciam nos sonhos de quando dormia, acordada. Foi debaixo da sua sombra, que me encontrei a sonhar palavras feitas, desfeitas, entrelaçadas-em-mim. Por vezes, gostava que tudo fossem verdades expostas na nudez da vontade com que as crio…e que elas me correspondessem na urgência de um momento vazio… Dariam, então, frutos amadurecidos, na sombra e na luz da alegria, reforçados pela vida-a-abrir, ao nascer do dia. Talvez fosse por aí que começaram a aparecer sonhos, que só mais longe-no-tempo compreendi. O hálito do tempo, esse sopro que se não vê, mas que se sente ao passar sob o nosso olhar, tem a sua pressa definida nas rugas da pele da vida a chegar. A casa dorme… …dorme o velho corredor, salpicado de molduras antepassadas… …dorme o quintal, a abraçar a doçura dos frutos-palavras que brilham com a sua luz, sem nada invejar a outras luzes. O vento varre- me o pensamento, sem Passado, sem Futuro (mesmo sem Presente!) a sair do seu trilho habitual sem ver a dimensão das coisas, sejam elas enormes como uma catedral, ou minúsculas como aquela formiga, que me vai passando perto dos pés. Há nuvens nos ares………meus olhos têm chuva……..a noite cai, de repente, como pestana que se solta sobre uma árvore distante… ou será uma pétala vermelha seca, quando já não tem o abrigo da luz das estrelas? Sentava-me, então, debaixo da sombra das árvores… Sento-me, hoje, debaixo do sol dos meus versos… …e o vento da noite gira no céu e canta, porque a poesia nunca desaparece, nem descansa! Maria Elisa Ribeiro-Portugal DEZ/013
Poema: RELVA DE SONHOS Alfabeto com que escrevo a minha presença no mundo, tu és O tudo que os mitos retratam no Tempo, sem conhecerem a realidade de um teu único segundo. E eu beijo-te, sem boca… Toco-te, sem mãos… Afago-te com uma ternura ausente-sempre-presente, ao despir a túnica com que a Lua me escondeu do teu olhar profundo…] No calendário dos dias-que-sou, tenho a tua alegria na cor viva dos sentidos, telas coloridas da alma intensa que te dou, suspensa dos pincéis de requintados pintores. Empresta-me o teu rosto…só por um momento… …o tempo necessário para que a esperança seja verdade, fora dos cadernos de ternos apontamentos __________________que se debruçam sobre as palavras __________________ que suspiram sentimentos. Queria deitar-me a teu lado…assim…teus olhos nos meus…cabelos espalhados num travesseiro de seda, feito de brilhos de estrelas que batem, descompassadas, à vidraça das janelas. Queria deitar-me assim…deitar-me, apenas, fora da relva dos sonhos, esses sulcos estriados da alma que se desfazem como areias violentadas pelo vento, ao mover pedras das marés, afastadas da força dos desertos. Queria que a noite, em passos apressados, saísse do ventre das mágoas, para entrar no espaço dos meus braços-nos-teus, num sensual patamar do sono…que não sentimos…mas que sabemos… Não saio desse tempo nem desse espaço, mesmo que um sopro de vento nos queira vencer, pelo cansaço, soprando os sonhos para longe do nosso abraço. Queria deitar-me em lençóis-páginas-longínquas, de poemas que estão por Acontecer. Qualquer árvore sabe a sua Hora de florescer…Qualquer pássaro sabe de cor o rumo que deve tomar, ao esvoaçar…ao correr, livre, pela sombra das nuvens…Qualquer gota de mar sabe, que é em colherinhas de relvas feitas conchinhas, que a vou beber… Eu sei que a tua sede se pode transformar em fonte, para me dares de beber… Maria Elisa Ribeiro AGOSTO/2014
Poema: ORAÇÕES-DOS-PASSOS-DOS-POEMAS estrelas solitárias passam por caminhos interditos e depositam lágrimas de orvalho e luz nos olhos mágicos das flores sem um único grito que possa incomodar a luz do descanso da noite pura dos campos desconheço a realidade dos sonhos que fracturam as palavras dos jardins das letras no filtro das trevas de génese interrogativa que permitem que apareça um incólume-poema-em-mim, solo lavrado por infinitas-emoções-a-sangrar nos dedos do semeador-poeta, voz de terra em sulcos de amor e dor, voz do infinito-finito dos céus lábios fechados no grito, aves chilreiam cânticos desconhecidos ao sonho, numa inexplicável sensação de luz-a-deslizar-no-ar [-em-dedos-de-escrita], purificação das verdades da água que corre pela alma das pedras, que filtram as orações dos passos-dos-poemas em lexemas de obstinação Maria Elisa Ribeiro NOV/2015

Academia das Letras - Centro de estudos e actividades de lazer.

Vem aprender e divertir-te connosco!

Mímica, jogos e cluedo humano❤

[12/27/19]   Xland videos parte4

[12/27/19]   Xland.. Slow motion

[12/27/19]   Xland videos.. Parte 3

[12/27/19]   Xland.. Videos parte 2

[12/27/19]   Xland.. Videos... Parte1

Xland... Surpresa final.

Xland mais movimento...

Xland... Pura diversão sem parar

natal na academia 💙

rir até doer a barriga 😅

4o dia de férias 💙

🌲❄️🎅

🌲❄️🎅

3o dia de férias ❤🎁🤗🎄

A saga continua ❤

1o ciclo ❤❤

Desafio dos meninos da pré ❤❤❤

Primeiro dia de férias ❤🎄🎉🎁

Jantar de Natal ❤

visita ao centro de ciência viva do Alviela e praia fluvial olhos de agua.

Como somos felizes com tão pouco! As férias estão a acabar e nós continuamos sempre em movimento ❤️

Porque na academia só fazemos atividades divertidas ❤️

Baloiço 3G

Low ropes

Masmorras

Tiro ao monitor😊

Noite de gala my camp

A dançar.... Agora como deve ser

Coreografias.... Hehehe

Mais umas coreografias antes do jantar

Slide da árvore.

Todos a dançar...

[08/29/19]   Descidas do black hole

Black hole e piscina time.

Mais atividades divertidas na nossa academia ...junta-te a nós ❤️❤️❤️❤️

[08/27/19]   Mais diversão no black hole

[08/27/19]   Water park

Segundo dia water park

Mais uma voltinha...

A ganhar apetite para o jantar no my camp

Primeira noite my Camp

Primeiro dia my Camp

[08/27/19]   Queridos pais,

caso tenham revistas em casa que não utilizem ou queiram reciclar, pediamos que contribuissem com algumas para a Academia para fazermos umas atividades giras com os vossos filhotes.
Uma semana feliz!

Quer que o seu escola/colégio seja a primeira Escola/colégio em Arruda dos Vinhos?

Clique aqui para solicitar o seu anúncio patrocinado.

Vídeos (mostrar todos)

Localização

Categoria

Entre em contato com a escola/colégio

Telefone

Endereço

Arruda Dos Vinhos

Horário de Funcionamento

Terça-feira 07:30 - 20:00
Quinta-feira 07:30 - 20:00
Sexta-feira 07:30 - 20:00
Outra Escola em Arruda dos Vinhos (mostrar todos)
Helen Doron English Arruda dos Vinhos Helen Doron English Arruda dos Vinhos
Urbanização Panorama, Rua Do Cácere, Loja 1A
Arruda Dos Vinhos, 2630-360

Centro de Ensino de Inglês dos 3 meses aos 19 anos

Academia SOS Academia SOS
Avenida Dom Afonso Henriques,Arruda Dos Vinhos
Arruda Dos Vinhos, 2630-159

A Academia SOS é um centro de estudos em Arruda dos Vinhos

EPGE - Eletrónica Automação e Computadores EPGE - Eletrónica Automação e Computadores
Rua Engenheiro Francisco Borges N.º2
Arruda Dos Vinhos, 2630-370

Página do Curso de Eletrónica Automação e Computadores da Escola Profissional Gustave Eiffel - Polo de Arruda dos Vinhos

Associação de Pais e Encarregados de Educação de Arruda dos Vinhos Associação de Pais e Encarregados de Educação de Arruda dos Vinhos
Arruda Dos Vinhos

Órgãos Sociais da Associação (eleitos em 31 de Outubro 2016)

Escola de Equitacao da Academia de Dressage Portugal Escola de Equitacao da Academia de Dressage Portugal
Quinta Da Pataca
Arruda Dos Vinhos, 2630

divulgação de servicos prestados

Centro de karate Shotokan da Arruda Dos Vinhos Centro de karate Shotokan da Arruda Dos Vinhos
Clube Recreativo E Desportivo Arrudense
Arruda Dos Vinhos

Centro de Karaté Shotokan do Clube Recreativo e Desportivo Arrudense

Comissão Representativa dos Alunos Comissão Representativa dos Alunos
Arruda Dos Vinhos

Comissão Representativa dos Alunos - EJAF

ADJ ADJ
Arruda Dos Vinhos

Clube das Ideias Clube das Ideias
Travessa Da Costa Do Castelo 8
Arruda Dos Vinhos

Um espaço onde as crianças aprendem a brincar com a Matemática