Estágio em Medicina de Urgência e Emergência / FM / UFMG

Estágio em Medicina de Urgência e Emergência, Faculdade de Medicina, Universidade Federal de Minas Gerais

A funcionar normalmente

01/10/2020

Espero encontrá-los bem.

É com imenso prazer que envio o link para a playlist da II Mostra de Residências do HC/UFMG. Após um intenso trabalho, realizado em parceria com o HC, conseguimos entrevistar representantes de 20 especialidades de acesso direto do nosso hospital. Agradecemos imensamente a disponibilidade e o apoio de cada um de vocês. Temos certeza que nosso projeto servirá como norte para os egressos da graduação e também como valorização do Hospital das Clínicas enquanto polo nacional de ensino, extensão e pesquisa.

Link: bit.ly/MostraHC2020

Ver MEDICINA DE EMERGÊNCIA

www.youtube.com Share your videos with friends, family, and the world

HC-UFMG divulga editais para residências médica, multiprofissional e buco-maxilo-facial - Notícia aberta - EBSERH 09/10/2019

ENSINO I O Hospital das Clínicas da UFMG (HC-UFMG), administrado pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), divulgou os editais das residências médica, multiprofissional integrada em saúde e cirurgia buco-maxilo-facial para o ano de 2020. Para concorrer, é preciso ter graduação nos cursos exigidos nos editais. Acesse e matéria para mais informações:
http://www2.ebserh.gov.br/web/hc-ufmg/noticia-aberta/-/asset_publisher/JYdUOrTtibKl/content/id/4501365/2019-10-hc-ufmg-divulga-editais-para-residencias-medica-multiprofissional-e-buco-maxilo-facial

HC-UFMG divulga editais para residências médica, multiprofissional e buco-maxilo-facial - Notícia aberta - EBSERH Inscrições abertas HC-UFMG divulga editais para residências médica, multiprofissional e buco-maxilo-facial ...

Detalhes do Processo | Residência Médica - Associação de Apoio a Residência Médica de Minas Gerais - AREMG 04/10/2019

Divulgado edital para residência de Medicina de Emergência do HC-UFMG. Inscrições entre 08 e 21/10.

http://www.aremg.org.br/detalhes-do-processo/aremg-apresenta-o-psu-2020/756

Detalhes do Processo | Residência Médica - Associação de Apoio a Residência Médica de Minas Gerais - AREMG Finalidade é estimular a residência médica em Minas Gerais contribuindo para a melhoria da qualidade dos programas de residência e a formação médica. - Detalhes do Processo | Residência Médica - Associação de Apoio a Residência Médica de Minas Gerais - AREMG

"Ligas de Emergência" - Henrique Herpich 13/09/2019

Simplesmente assistam. Passem para as ligas que vocês têm contato. Passem para os academicos que vocês têm contato. Postem em suas mídias. Divulguem essa mensagem no meio academico para encorajar os futuros emergencistas! Os acadêmicos são o futuro da medicina. Eles precisam saber do que se trata a Medicina de Emergência. Compartilhem sem moderacao!
Palestra do Henrique Herpich, estudante de medicina na UFCSPA.

"Ligas de Emergência" - Henrique Herpich Palestra realizada no II Congresso Sul Brasileiro de Medicina de Emergência Adulto e Pediátrico em Florianópolis - SC.

30/08/2019
22/08/2019

O II Congresso da ABRAMEDE MG ocorrerá de 26 a 28 setembro de 2019, em Belo Horizonte, MG, no Centro de Convenções da Associação Médica de Minas Gerais.

II Congresso Abramede MG 16/08/2019

Ainda não fez a sua inscrição para o mais completo evento da emergência em Minas Gerais? Não perca esta oportunidade: https://congresso.abramedemg.org.br/

II Congresso Abramede MG O Congresso Mineiro celebrará o papel da equipe multidisciplinar na segurança assistencial, envolvendo todos os profissionais que atuam e cuidam do paciente

13/06/2019

Atenção: seleção dia 25/06 terça-feira as 17 horas.
Necessário fazer inscrição antes e ter cursado a Disciplina SVUE.

Inscrições para monitoria na disciplina de Internato em Medicina de Urgência e Emergência podem ser feitas até 25 de junho. Saiba mais: https://bit.ly/2XJlROX

Photos from Break EM's post 05/04/2019

Segue revisão sobre transfusão maciça

09/03/2019

🚨 Paciente 28 anos masculino, vem transferido de outra unidade com diagnóstico de pneumonia, primeiro atendimento e iniciado tratamento hoje.
SINAIS: PA: 135x73mmHg,. FC: 125bpm, FR: 26irpm, Sat: 89% com MNR 15l, Glicemia: 115mg/dL Tax.: 36.8C

Paciente se apresenta bem cansado, sonolento e pouco colaborativo com história clínica e exame físico. A família está a caminho para dar maiores informações.
Exames:
HB 11.7 HT 38% VCM 94% HCM 28 Plaquetas: 232.000
GB: 9500 Bastoes: 0 Linfocitos: 2185 Linfocitos atípicos: 0

Ureia: 110 Creat 1.7 Amilase 42 TGO 105 TGP 43 FAL 330 BD 2.0 BI 1.5 CPK 3000 Na 135 K 3.0 Mg 2.0

🐀 Por que nesse caso pensamos em Leptospirose?

- Hoje essa seria a nossa principal hipótese diagnóstica considerando um surto recente de casos de leptospirose na região de abrangência do nosso hospital.

Muitas vezes recebemos pacientes em condições muito graves com poucos detalhes da história clínica, o que nos obriga a cobrir um leque grande de diagnóstico diferenciais no tratamento inicial. Aos poucos depois, vamos investigando, colhendo e recolhendo dados, pedindo exames e encaixando o quebra-cabeça.

A leptospirose é uma zoonose endêmica no Brasil, que ocorre o ano inteiro e aumenta sua incidência em período de chuvas, podendo haver surtos isolados.

A maioria dos casos se parece com um quadro febril viral que se resolve em uma semana (fase precoce), mas 15% dos casos pode evoluir para fase tardia com potencial de gravidade. Nos quadros de leptospirose grave a mortalidade varia de 10 a 50% (quando associado com hemorragia alveolar).

Portanto esse sempre deve ser um diagnóstico diferencial em pacientes com doenças agudas graves que envolvem e/ou icterícia e/ou hemorragia pulmonar ou consolidação difusa.

DICA 1: A icterícia é um marco da leptospirose porém formas graves, principalmente com envolvimento renal e pulmonar, podem NÃO apresentar icterícia. Logo ausência de icterícia não descarta leptospirose.

A síndrome de Weil é caracterizada por leptospirose com:
- icterícia
- insuficiência renal
- hemorragias, principalmente pulmonar
Sempre associado a maior mortalidade.

DICA 2: Procurar por sufusão conjutival caracterizado por hiperemia e edema da conjuntiva ao longo das fissuras palpebrais é muito característico de leptospirose e está presente em 30% dos casos.

O comprometimento pulmonar da leptospirose apresenta-se com tosse seca, dispneia, expectoração hemoptoica e, ocasionalmente, dor torácica e cianose. Podendo evoluir para síndrome da hemorragia alveolar aguda ou síndrome da angustia respiratória aguda (mesmo não apresentando hemorragia) ou está ser exteriorizada já tardiamente.

DICA 3: deve manter uma suspeição para a forma pulmonar grave da leptospirose em pacientes que apresentem febre e sinais de insuficiência respiratória, independentemente da presença de hemoptise.

A leptospirose causa uma forma peculiar de insuficiência renal aguda, caracterizada geralmente por ser não oligúrica e hipocalêmica devido à inibição de reabsorção de sódio nos túbulos renais proximais, aumento no aporte distal de sódio e consequente perda de potássio.

DICA 4: IRA com hipocalêmia deve acender um alerta.

Outras manifestações frequentes na forma grave da leptospirose são: miocardite, acom- panhada ou não de choque e arritmias agravadas por distúrbios eletrolíticos; pancreatite; anemia e distúrbios neurológicos como confusão, delírio, alucinações e sinais de irritação meníngea. A leptospirose é causa relativamente frequente de meningite asséptica. Com menor frequência ocorrem: encefalite, paralisias focais, espasticidade, nistagmo, convul- sões, distúrbios visuais de origem central, neurite periférica, paralisia de nervos cranianos, radiculite, síndrome de Guillain-Barré e mielite.

DIAGNÓTICOS DIFERENCIAIS
a) Fase precoce: dengue, influenza (síndrome gripal), malária, riquetsioses, doença de Chagas aguda, entre outras.

b) Fase tardia: hepatites virais agudas, dengue hemorrágico, hantavirose, febre ama- rela, malária grave, febre tifoide, endocardite, riquetsioses, doença de Chagas aguda, pneumonias, pielonefrite aguda, apendicite aguda, sepse, meningites, colangite, colecistite aguda, coledocolitíase, esteatose aguda da gravidez, síndrome hepatorrenal, síndrome hemolítico-urêmica, outras vasculites incluindo lúpus eritematoso sistêmico, entre outras.

TRATAMENTO

Na suspeita de leptospirose é mandatório o inicio do antibiótico, considerando que sua maior eficácia é na fase inicial da doença, mas deve ser iniciado a qualquer momento da suspeita.
É importante solicitar os te**es diagnósticos, geralmente disponíveis ELISA-IgM e MAT.
Notificar o caso para a Vigilancia Epidemiologia afim de incitar investigação e bloqueio quando indicado.

- ATB: - Penicilina G Cristalina: 1.5 milhões UI, IV, de 6/6 horas; ou
- Ampicilina : 1 g, IV, 6/6h; ou
- Ceftriaxona: 1 a 2 g, IV, 24/24h ou Cefotaxima: 1 g, IV, 6/6h. Alternativa: Azitromicina 500 mg, IV, 24/24h

Referências:
- Leptospirosis in Humans David A. Haake and Paul N. Levett
- Leptospirose diagnostico e manejo clínico, ministério da saúde, 2014

08/03/2019

Brazilian EM residents (18) Ana Claudia, Andressa, Barbara, Camilla, Clarisse, Debora, Isabela Geo, Jacqueline, Karine, Kenia, Mariana Felice, Mariana Moreira, Paula de Faria, Pollyanna, Sarah Maciel, Sheilla, Taina👏👏👏

Não precisa de muito esforço, é só olhar. Nas salas de aula, nas empresas, nas emergências, blocos cirúrgicos, consultórios, por todos os lados, mulheres.

Na sala de emergência, perdi as contas de quantas vezes, em torno de um paciente em risco iminente de morte, estávamos nós: emergencistas, enfermeiras, técnicas de enfermagem, cirurgiãs... mulheres.

Na Medicina, houve aumento significativo no número de médicas formadas a cada ano, sendo maioria na faixa etária abaixo dos 29 anos, mas não era assim até pouco tempo. Dra. Themis Reverbel da Silveira, com seus mais de 80 anos e incansável na prática médica, formada em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul em 1964, estava nas primeiras levas de mulheres a concluírem o curso de Medicina no estado. De 100 alunos, "cinco ou seis" eram mulheres.

Em entrevistas - na íntegra nas nossas referências - ela cita trotes a que foi submetida no começo da faculdade: "Me obrigavam a servir cafezinho no centro acadêmico, descalça, cantando: medicina é papafina, não é coisa pra menina”. Conta também: “Uma vez, quis fazer estágio no Pronto Socorro e não deixaram porque não tinha banheiro para mulher médica.” Pois saiba, Themis: hoje a direção técnica, a coordenação da residência de Medicina de Emergência e grande parte das vagas nos programas de residência de um dos maiores hospitais de pronto socorro do país cabem a mulheres. Temos banheiro. Temos sonhos. Temos disciplina. Temos gratidão por aquelas vieram antes de nós.

Seguimos em frente, cuidando inclusive as armadilhas que podemos criar para nós mesmas e a "Síndrome da Impostora" é um bom exemplo: descreve a sensação que muitas sentem, quando não internalizam seu merecido sucesso. Em vez disso, sentem que seu sucesso não é merecido e desenvolvem medo de serem descobertos como uma “fraude”. Sentimento que geralmente piora durante os períodos de transição, como o início do internato ou da faculdade para a residência, mas saiba: se você está no lugar onde está, fazendo o que faz, é porque mereceu.

No nosso dia, que seja reforçada a nossa união. Que seja reforçada a alegria de convivermos com tantos homens que nos impulsionam e nos apoiam. Que seja reforçada a humanidade, a luta pela equidade e pelo amor. Não precisamos ser duras para sermos boas líderes. Não há problema que o amor siga como nosso maior combustível, em qualquer lugar que estivermos, porque lugar de mulher é onde ela quiser.

O BreakEM quer convidar todas a mostrarem - Poste fotos no seu local de trabalho, de estudo, fazendo o que ama, com quem ama, junto de outras mulheres com a nossa hashtag e Feliz Dia Internacional da Mulher!

Não é lugar de mulher. 08/03/2019

https://breakem.org/2019/03/08/nao-e-lugar-de-mulher/

Residentes de Medicina de Emergência - HC/UFMG (18) maioria!!!
Ana Claudia
Andressa
Barbara
Camilla
Clarisse
Debora
Isabela Geo
Jacqueline
Karine
Kenia
Mariana Felice
Mariana Moreira
Paula de Faria
Pollyanna
Sarah Maciel
Sheilla
Tainá Vaz
Thamyres

Não é lugar de mulher. Não precisa de muito esforço, é só olhar. Nas salas de aula, nas empresas, nas emergências, blocos cirúrgicos, consultórios, por todos os lados, mulheres. Na sala de emergência, perdi as contas de …

05/03/2019

Orgulho de pertencer a esta escola.

Nesta terça-feira, 5 de março, a Faculdade de Medicina da UFMG completa 108 anos!

20/02/2019

O que um treinamento adequado em Suporte basico de vida e um desfibrilador podem fazer.
Está semana 160 alunos do 2 período do curso de medicina realizam treinamento em Suporte basico de vida

03/12/2018

O objetivo da sequência rápida de intubação é deixar o paciente inconsciente e paralisado e, então, intubar a traqueia sem o uso da ventilação com bolsa-válvula-máscara, a qual pode causar distensão gástrica e aumentar o risco de aspiração.

A regra dos 7 P's é famosa por enumerar os passos para uma IOT segura.

1)Preparação: avalie a via aérea do paciente, cheque os equipamentos, garanta monitorização cardíaca, PNI e oximetria, além de acesso venoso. Aspire as medicações, prepare os materiais e inicie a pré oxigenação.

2)Pré oxigenação: essa fase visa permitir vários minutos de apneia sem queda na saturação. Administre O2 a 100% por 3 minutos ou 8 respirações com capacidade vital (maior volume que conseguir) enquanto recebe O2 a 100%. Um adulto saudável mantém SatO2 acima de 90% por 8 minutos durante o período de apneia(tempo suficiente para uma intubação tranquila!)

3)Pré tratamento: consiste na administração de fármacos para diminuir os efeitos adversos associados àbintubação ou às co-morbidades subjacentes do paciente.

Os efeitos adversos são a reatividade broncoespastica das VA ao TET em pacientes com hiper reatividade das VA, a resposta da PIC à manipulação das VA em pacientes com PIC elevada e a liberação sistêmica de aminas adrenérgicas simpáticas (a resposta simpática reflexa à laringoscopia).

Os agentes de pré tratamento, quando indicados, são administrados 3 minutos antes dos agentes de indução e paralisia.

4)Paralisia com indução: produzir perda imediata da consciência. A administração do agente de indução é imediatamente seguida pelo agente bloqueador neuromuscular (ambos em bolus). Os agentes de indução são o Midazolam, o Etomidato, a Cetamina e o Propofol. Já os bloqueadores neuromusculares são a Succinilcolina e o Rocurônio (não se preocupem, pois teremos posts exclusivos sobre esses fármacos!)

5)Posicionamento: muitas vezes desprezamos esse passo, mas ele é fundamental para o sucesso da IOT. Coloque coxim sob a cabeça ou entre as escápulas do paciente, ajuste a altura da maca. Garanta uma posição confortável para o intubador. Alguns pacientes vão exigir manobras particulares de posicionamento, como obesos, grávidas e vítimas de trauma com necessidade de imobilização cervical.

6) Posição com comprovação: As dr**as já foram administradas e o paciente já foi posicionado. Agora, avalie o relaxamento da mandíbula, realize a laringoscopia e a intubação em si. Em seguida, confirme se o tubo está de fato na traqueia auscutando epigástrio e tórax ou utilizando um capnógrafo.

7) Pós intubação: Finalmente, seu paciente está com a via aérea assegurada! Neste momento, instale e ajuste a ventilação mecânica, solicite um rx de tórax para avaliar seletividade do tubo. Se necessário, inicie sedoanalgesia contínua.

E aí, quem está pronto pra uma IOT rápida e segura essa semana? Compartilhem conosco suas experiências e dúvidas! Boa semana a todos!

Understanding ECG 16/11/2018
15/11/2018

Artigo: Incidência e fatores associados a parada cardíaca complicando o manejo da via aérea na emergência

Introdução: O manejo da via aérea é um procedimento importante e definidor de cuidados a pacientes críticos. Intubação de sequência rápida se tornou a modalidade de escolha para facilitar a intubação no cenário da emergência. A segurança e a eficácia da ISR foi bem comprovada, porém complicações e dificuldades ainda acontecem nas situações de emergência.
Imediatamente: falha para realizar o procedimento, intubaçao esófago, broncoaspiraçao, hipoxemia, são comumente relatados.
Hipotensão está cada vez mais sendo reconhecida como uma complicação comum associada independentemente com aumento de morbidade e mortalidade.
E a parada cardíaca sendo uma complicação reconhecida, ainda é pouco estudada como complicação consequente a ISR.
Este estudo foi realizado para identificar a incidência e os fatores clínicos associados com PCR peri-intubaçao durante o manejo da via aérea na emergência.

👉🏽 https://emergenciarules.com/2018/11/14/estudo-incidence-and-factors-associated-with-cardiac-arrest-complicating-emergency-airway-management/

12/11/2018

Nesta terça-feira, 13 de novembro, a Faculdade recebe tributo em homenagem ao professor Antônio Leite: porta-voz da mensagem de paz e defensor da saúde coletiva. Saiba mais em https://bit.ly/2yZN4T7

10/11/2018

[PROCESSO SELETIVO UNIFICADO]

Após a elaboração e divulgação pela Associação de Apoio a Residência Médica de Minas Gerais (AREMG) da nova Avaliação Curricular Padronizada (ACP) para entrada direta do Processo Seletivo Unificado (PSU) para ingresso em programas de Residência Médica, o Diretório Acadêmico Alfredo Balena (DAAB) gostaria de fazer um apanhado das principais mudanças e apresentá-las à comunidade acadêmica. A ACP é motivo de muitas discussão pelos alunos do curso e a mudança de seus critérios afetam significativamente não só o percurso acadêmico dos que pretendem se submeter ao processo seletivo, mas também a qualidade de vida e a saúde mental do estudante.

A ACP consiste de uma lista que padroniza pontuações para atividades extracurriculares realizadas pelo candidato. Sua pontuação total é somada à nota de uma prova teórica e o resultado é comparado entre os candidatos para o preenchimento das vagas. Esse instrumento foi idealizado com o objetivo de valorizar as ações e as iniciativas do aluno, no entanto com a alta concorrência que existe no processo, houve, com ele, um efeito negativo nas últimas edições, contrário ao imaginado.

Entre as atividades pontuadas são exemplos a participação em monitorias, iniciações científicas e publicações, ligas acadêmicas e projetos de extensão, organização de eventos, representação discente e estágios práticos não curriculares. A busca por pontos na ACP levou então ao engajamento do aluno nessas atividades, porém muitas vezes abrindo mão de seu tempo de estudo e dedicação para o currículo do curso, de tempo de lazer e de descanso, deteriorando progressivamente sua saúde mental.

Baseado nesse conhecimento, o Colegiado do Curso de Medicina e o Núcleo Docente Estruturante fizeram uma série de proposições para alteração da ACP junto à AREMG. Os pedidos tinham como objetivo fazer com que a avaliação retornasse a seu princípio inicial e fazer com que o aluno pudesse novamente se dedicar à graduação com melhora da qualidade de vida.

Acatando esses pedidos, a AREMG lançou a ACP para o processo seletivo vigente, que foi analisado criteriosamente pelo DAAB. Acreditamos que houve uma melhora significativa em relação ao último ano que segue os princípios desejados. A análise resultou na tabela abaixo, nas quais são simplificadas as pontuações por cada categoria. Os campos em verde são quesitos nos quais ou houve diminuição de carga horária ou aumento da pontuação pela mesma atividade. Além disso, uma outra características que consideramos positiva é o fato de muitas atividades não poderem ser feitas concomitantemente, fazendo com o que o aluno possa se dedicar ao projeto em que está inserido.

Por fim, deve ser feita uma observação. A escrita do documento não define corretamente os critérios para pontuação, o que permite várias interpretações sobre a somatória dos pontos. Essa ponderação se deve ao fato de não haver pontuação máxima para os itens pré definida, além de não haver instrução única a ser usada para inclusão nos critérios de pontuação dos demais itens. Ao identificarmos essas falhas, propusemos a elaboração de um ofício endereçado a AREMG sugerindo correções no texto da ACP. O documento foi assinado pelo DAAB e também pela Presidente da Associação dos Médicos Residentes do Hospital das Clínicas. A intenção da entrega desse documento foi apresentada em reunião do Colegiado do Curso de Medicina e os membros se dispuseram a reforçar o pedido caso haja necessidade. Faremos outra postagem caso obtenhamos resposta.
Abaixo os links para as duas ACPs de entrada direta dos anos de 2018 e 2019:

2018: http://www.aremg.org.br/ajaxDownload.ajax.php?id=1676&tbl=Processos

2019: http://www.aremg.org.br/ajaxDownload.ajax.php?id=1799&tbl=Processos

: Tabela ilustrativa com as mudanças que houveram nas pontuações dos critérios de 2018 para 2019. O link para o arquivo com a tabela em Word está a seguir:
https://drive.google.com/open?id=1w3dZ_7exUEXahEsXqhGKr2MWn1B2iZIO

Quer que seu escola/colégio seja a primeira Escola/colégio em Belo Horizonte?

Clique aqui para requerer seu anúncio patrocinado.

Vídeos (mostrar tudo)

Localização

Endereço


Avenida Prof. Alfredo Balena, 190
Belo Horizonte, MG
30130100
Outra Faculdades de Medicina em Belo Horizonte (mostrar tudo)
Sou Medaholic Sou Medaholic
Belo Horizonte, <>

O Portal MEM - Melhores Escolas Médicas. Nosso trabalho é fazer com que você tenha a melhor experiência em seu período de pré vestibular, ofertando os melhores conteúdos para te ajudar a escolher seu curso de medicina.

Faculdade de Medicina da UFMG Faculdade de Medicina da UFMG
Avenida Professor Alfredo Balena, 190/Santa Efigênia
Belo Horizonte, 30130-100

Página oficial da Faculdade de Medicina da UFMG, coordenada pelo Centro de Comunicação Social. Para comentários e sugestões: [email protected]. www.medicina.ufmg.br

Faculdade Ciências Médicas MG Faculdade Ciências Médicas MG
Alameda Ezequiel Dias, 275/Centro
Belo Horizonte, 30130-110

Faculdade de Medicina, Fisioterapia, Enfermagem e Psicologia.

Liga Acadêmica de Imaginologia Liga Acadêmica de Imaginologia
Belo Horizonte

A Liga Acadêmica de Imaginologia (LAIM) é uma liga acadêmica fundada e elaborada por alunos de Me